quinta-feira, 31 de outubro de 2019

O trabalho que desenvolvemos procura ser consonante com o previsto no documento Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar, designadamente, quando refere que o reconhecimento da capacidade da criança para construir o seu desenvolvimento e aprendizagem supõe encará-la como sujeito e agente do processo educativo, o que significa partir das suas experiências e valorizar os seus saberes e competências únicas, de modo a que possa desenvolver todas as suas potencialidades.

É por isso que, por exemplo, a planificação é feita a partir das suas opiniões, registada com a colaboração de todos e afixada num local bem visível.


A partir daí não falta motivação para trabalhar e desejo de aprender!






Também quisemos festejar o Halloween e fizemos umas abóboras muito engraçadas:



Neste início de ano temos atendido também ao desenvolvimento de um trabalho que venha de encontro à finalidade essencial da área do Conhecimento do Mundo lançar as bases da estruturação do pensamento científico, que será posteriormente mais aprofundado e alargado, importa que haja sempre uma preocupação de rigor, quer ao nível dos processos desenvolvidos, quer dos conceitos apresentados, quaisquer que sejam os aspetos abordados e o seu nível de aprofundamento. É essencial que se vá construindo uma atitude de pesquisa, centrada na capacidade de observar, no desejo de experimentar, na curiosidade de descobrir numa perspetiva crítica e de partilha do saber.

Experiência "O esqueleto da folha":



Experiência "Vamos ver o mundo ao contrário (Câmara escura)":









quinta-feira, 17 de outubro de 2019

A paz e a ecologia: duas faces da mesma moeda!


"A educação pré-escolar tem um papel importante na educação para os valores, que não se “ensinam”, mas se vivem e aprendem na ação conjunta e nas relações com os outros." (OCEPE, 2016)


Será possível sermos amigos uns dos outros sem sermos amigos da natureza? Sabemos bem que não e queremos passar esta importante mensagem a todos!
E por falar em natureza, é tão divertido utilizar os materiais que ela nos dá no outono para fazer trabalhos!


Por cá continuamos a viver a paz todos os dias. Lançamos o dado da paz logo de manhã e tentamos ser cumprir a frase do dia. Este ano partimos deste FILME que nos ajudou a relembrar a importância de sermos amigos de todos (também da natureza).


 Como também queremos viver a paz em casa, decidimos construir o nosso próprio dado mas não sem primeiro os expormos durante dois dias para lembrar a todos deste nosso compromisso.



sexta-feira, 27 de setembro de 2019

Se há coisa de que gostamos é de nos vermos em fotografias 😉

Desta vez tiramos uma foto de corpo inteiro e estivemos a explora-la. 
- De quantas partes é formado o meu corpo?
- Que diferenças existem entre o meu corpo e o dos meus colegas?




segunda-feira, 23 de setembro de 2019

Dia Internacional da PAZ!


No jardim de infância de Esporões já se deu o "pontapé de saída" ao projeto Living Peace com a comemoração do Dia Internacional da Paz.

Um pouco por todo o mundo, largas centenas de escolas se organizaram com os seus alunos para assinalar este dia tão importante.

Por cá, também o quisemos fazer, deixando uma marca de compromisso:

- COMIGO
- COM OS OUTROS
- COM A NATUREZA
 

 

domingo, 15 de setembro de 2019

Bem-Vindos!

Mais um ano começa no jardim de infância de Esporões!

Desta vez foi o monstro das cores que recebeu as crianças e lhes deu as boas-vindas. 
As saudades já apertavam e por isso ele sabia bem o que sentia por voltar à escola, rever os amigos e conhecer outros que chegavam de novo.

Apareceu bem AMARELO, cor da sua ALEGRIA!
A Rita Catita, quis tirar uma selfie com o monstro das cores e ajudou-o a relembrar como é bom estar no jardim de infância mas também a recordar como foi o seu primeiro dia. 
Sim, porque nessa altura as suas emoções estavam todas baralhadas, assim como as suas cores...

O dia decorreu sempre na companhia destes simpáticos amigos que só queriam manter toda a gente bem disposta. E... quase o conseguiram 😉. Mas também souberam compreender quando aparecia uma lagrimita no rosto de algum recém chegado. 
Afinal, é normal que o ingresso num novo meio possa causar alguma ansiedade... 

E, não fosse alguém esquecer-se do monstro das cores durante o fim de semana, todos o quiseram levar para casa, ao final da tarde (em tamanho mais pequeno 😊).

quarta-feira, 5 de junho de 2019

Ser FELIZ? Sim! Mas, com o(s) outro(s)...

É realmente verdade que, quando nos descentramos de nós mesmos e dos nossos interesses, a nossa felicidade duplica. Pelo menos é isso que as crianças têm experimentado (e os adultos também 😉).

Ter consciência do que somos e como somos, conhecer os nossos interesses, capacidades mas também os nossos limites, enriquece-nos e faz-nos crescer. 

Porém, que valor teria tudo isso, se não reconhecermos que há outro(s) diferente(s) de nós, que também têm interesses, limitações, necessidades,...? 

Foi nessa certeza que aderimos ao projeto de ajuda às crianças de Cabo Verde. A Margarida (que fez estágio connosco) propôs-nos este desafio: angariar material escolar para enviar para as crianças necessitadas de cabo verde. E como reagimos nós? Aderimos, claro!


A nossa ação não ficou por aí pois, para nós, todos os dias são oportunidades de pôr em prática as regras do Dado da Paz.
E não estamos sozinhos. Sabemos que em todo o mundo há crianças e adultos que querem viver esta "arte" da Paz e por isso desenvolvem iniciativas para lembrar cada vez mais ao mundo a necessidade de vivermos a Paz. 

Como, há uns anos, nós promovemos uma Exposição Internacional de Desenhos sobre a Paz (e foi com muita alegria que recebemos desenhos de crianças de quase 100 países de todo o mundo!) achamos que seria muito interessante participarmos numa iniciativa de outro país. Assim, há uns dias, enviamos a nossa mandala da paz para a Exposição Internacional de mandalas da paz, realizada pelas crianças da Argentina!!!

Depois, nem de propósito! Soubemos de uma atividade do Instituto de Educação da Universidade do Minho que está muito relacionada com o nosso projeto Living Pece! Chama-se Atelier da Empatia! Nem pensamos 2 vezes! Quisemos ser os primeiros a participar!😀

Deixamos aqui a transcrição da publicação do Núcleo de Estudantes de Educação da Universidade do Minho a este propósito:
"Inaugurou-se hoje o nosso Ateliê da Empatia. Este Ateliê é um projeto que convida os miúdos e os graúdos a colocarem-se no lugar do outro, calçando os seus sapatos e conhecendo as suas histórias de vida. 
Hoje tivemos uma visita muito especial e diferente. Para nós é muito importante começar a trabalhar a empatia com os mais novos.
E vocês? Atrevem-se a participar?"
Todas estas experiências nos têm ajudado a saber estar de um modo diferente na escola. Uma forma de estar onde todos se respeitam e ajudam a recomeçar quando alguém se esquece das regras do dado da paz. É tão bom viver assim!

Até quando saímos da escola numa visita de estudo tentamos viver assim: Ser felizes se fizermos também felizes os outros 😊

sábado, 18 de maio de 2019

A vida do jardim de infância não pára... 

E, porque a articulação com a família é importante, fizemos festa às mães, tal como já havia acontecido com os pais. E... mãe que é mãe, faz de tudo para provocar um sorriso nos lábios do filho 😁!

O ano letivo avança e os portefólios das crianças engrossam, carregados de autênticos tesouros que cada uma ciclicamente revisita para se auto avaliar, perceber onde ainda pode melhorar, constatar a sua própria evolução, dialogar e pedir/dar a opinião dos colegas...

Ultimamente o tema da sustentabilidade tem merecido um olhar particular e mais atento das crianças. Para além do mais, inscreve-se claramente no nosso projeto Living Peace uma vez que não tem sentido sermos amigos uns dos outros e de todas as pessoas se não formos também amigos do ambiente.

Nesse sentido também nos recordam as OCEPE (Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar) que uma abordagem, contextualizada e desafiadora ao Conhecimento do Mundo, vai facilitar o desenvolvimento de atitudes que promovem a responsabilidade partilhada e a consciência ambiental e de sustentabilidade. Promovem-se assim valores, atitudes e comportamentos face ao ambiente que conduzem ao exercício de uma cidadania consciente face aos efeitos da atividade humana sobre o património natural, cultural e paisagístico.
Respeito pelo ambiente... respeito pela pessoa humana, todos são únicos e respeitados.
Assim se tenta viver no nosso Jardim de Infância...😉